Móveis, contaminações, eletrodomésticos

De personagem em personagem
emaranhou-se a simples trama
tão anovelada de tão plana.

De capítulo em capítulo
conjugou-se um romance qualquer
autobiobibliográfico em branco.

De novela em novela
anovelou-se a vida
na afiação.

A ilusão pintou-se de verde
na esperança amarela que não e apaga de tão quente.
O imóvel domesticou o móvel
que de tão elétrico perdeu a garantia
da liberdade que nunca sonhara
(e eu ainda bebo azul...)

De comercial em comercial
fez-se o empréstimo
de quem perdeu o controle.

De... em...
Caros amigos,
a programação acabou parcelados telespectadores analgicos congênitos
anal é blublabluplararahahaha anal.
Legal mágico saldão congênito sebo placebo
sem jeito não mais. 

Tome um Dipirona, Paracetamol ou quem sabe (você? hahaha) Ritalina.
-Tem certeza dotô?
Acho (eu mesmo) melhor um Qsymia...essa barriga que não tenho...hum...
quem sabe seu cérebro esburacado está lutando o suficiente para não ser?
E você?O que tem feito da vida?O que a vida tem feito de você?
É...parece que a sua vida rendeu bastante para os que já têm (entendeu?)
Tudo é perecível
menos a nordestina feia que dá dó (de tão) engraçada
que se orgulha de servir quem não presta
mas serve
para o orgulho dos povos nordestinos
tão diversificados no mesmo quesito não requisitado.

O móvel imóvel pelo eletrodoméstico imóvel que movimenta nações
domesticou-se (ou foi domesticado) no sofá que o prendeu
com transes que vão além de trans que vão além de além para além de...
o animal doméstico está por aí...
Que animal você é!

Só há
sofá
só fá não.
Sofás, conjunto uno de no mínimo quatro braços e seis pernas.

Todos os móveis em um imóvel
tão imóvel quanto o sofá e...
outro imóvel não parcelado...
quitado?

E ainda o endividado sonha...
sonhar é preciso,
sonhar é saber.
Sonha com o próximo capítulo da sua vida
que infelizmente não foi escrita.
É infeliz mas ainda sonha.
Quem disse que vidas vazias não valem?
Valem muito dinheiro.
Desejos que movimentos transações.

Mudanças tradicionalíssimas:
infeliz é quem não sonha!

De programa em programa
a programação acabou!
(sustos e mais sustos.Aneurismas e metástases metamorfoseadas na nova tendência de inverno.)