Guarda-chuva

Caminhando sozinho eu sigo o meu caminho
reparando nas expressões que no fundo nada mudam.
Dizem que possuem muitos amigos e a prova disso está no número
mas ao conversar com vários ainda continua isolada.
Então preste atenção na mais pura verdade:
quem é amigo de todo mundo não é amigo de ninguém...
resta a solitária solidária Internet.

Caminhado sozinho eu sigo o meu caminho
e as pessoas fazem o mesmo sem se importar com os outros que desejam carinho.
Dizem que fazem muitas caridades e a prova disso está nas amizades
mas com o passar do tempo resta apenas a idade.
São tão carinhosos consigo mesmos que se esquecem de si próprios ao comerem fast-food
para ajudar os pobres coitados de fome que a cada dia se aproximam mais da morte
e depois de tudo isso dão de troco aos mendigos apenas o olhar cínico do vidro de fumê.

Algo nos impede de enxergar e eu sei que não é a neblina.
Uma barreira nos separa e eu sei que não é o tempo.
O clima não é bom mas é muito ruim pensar só em você e você.
E pulando de poças e mais poças ao dobrar a esquina eu me diverto e rio
ao ver pelas janelas crianças reclamarem que não tem mais liberdade
até triste ficar ao ver que muitos outros morrem de frio
mesmo ao possuir liberdade como acessório...ou abdicatório...

E assim eu sigo o meu caminho em um dia sem chuva
e abro o meu guarda-chuva para me proteger dessa chuva de críticas que me leva a isolação
e me dá mais uma desculpa pra fugir da solidão...
E assim eu fecho o meu guarda-chuva em um dia sem chuva.